MESAS REDONDAS

 

PROGRAMAÇÃO

 

DIA: 11/11/2014 (TERÇA-FEIRA)

Horário: 14h às 15h30

 

 

MESA-REDONDA 1:

TEMA: O imaginário coletivo do Nordeste no campo dos media

 

Patrícia Rocha (UNEB) – Mediadora

O imaginário coletivo do Nordeste no campo dos media

Idevaldo José dos Santos (UNEB)

A comunicação e as representações culturais

Moisés dos Santos Viana (UNEB)

O são joão na Bahia e midia

 

MESA-REDONDA 2:

TEMA: Práticas de letramento e formação de professores: experiências e possibilidades

 

Maria Helena da Rocha Besnosik (UEFS) – Mediadora

Letramento literário: o seu lugar na sala de aula

Rita de Cassia Breda Mascarenhas Lima (UEFS)

Práticas de letramento em espaços não-formais: uma experiência com círculos de leitura

Fabíola Silva de Oliveira Vilas Boas (UEFS)

Trajetórias de letramento e formação de professores no estágio supervisionado

 

MESA-REDONDA 3:

TEMA: Educação Popular e as Interconexões com a EJA e Educação do Campo: saberes, fazeres e dizeres

 

Edite Maria da Silva de Faria (UNEB) - Mediadora

O diálogo necessário e possível  entre a Educação Popular, a EJA e a Educação do Campo na Contemporaneidade

Marlene Souza Silva (MPEJA/UNEB)

A Educação Popular e as Conexões com a Educação de Jovens e Adultos.

Dilene Gonzaga (MOVA-Brasil)

Educação Popular como Direito Humano

Luciana Oliveira Lago (MPEJA/UNEB)

A Formação do professor de EJA para o uso das TIC 

 

MESA REDONDA 4:

TEMA: Pensamento, escritas, autorias: diálogos críticos e literários

 

Sayonara Amaral de Oliveira (UNEB/PPGEL) - Mediadora

Poéticas contemporâneas no campo da mídia digital

Eugênia Mateus  (UNEB)

Nem roubos nem plágios: uma desventura de ler e escrever como crimes não cometidos

Luiz Antonio de Carvalho Valverde (UNEB)

Linguagem e sacrifício

 

Horário: 19h30 às 21h

 

MESA REDONDA 5:

TEMA: Segredos e poderes da escrita e do escrever

 

Ana Maria Netto Machado (PPGE-UNIPLAC / SC) – Mediadora

O trabalho com o outro na produção escrita: das fronteiras e limites entre reconhecimento e transgressão

Obdália Santana Ferraz Silva (UNEB/PPGEDUC)

Vozes silenciadas, silêncios que falam: os (des)caminhos da escrita na universidade

Márcia Medeiros de Lima (IFSC / SC)

Arte e cultura na biblioteca - espaço interativo para inclusão social e acadêmica

 

MESA-REDONDA 6

TEMA: Testemunhos, memórias e saberes: possibilidades de conhecimento, escrita e autoria na universidade

 

Alessandra Rodrigues (UNIFEI) – Mediadora

Narrativas digitais na formação universitária: um caminho para o letramento digital e a autoria

Vera Regina Roesler (UNIPLAC)

Subjetividade, histórias de vida e escrita acadêmica

Márcia de Jesus Xavier (UFERSA)

Das práticas do usuário de redes sociais ao letramento digital na formação docente

Juliana Scoz (UNC)

Alfabetização acadêmica: trabalho de todos os docentes para iniciar o estudante universitário nas lidas com textos científicos

 

MESA REDONDA 7

TEMA: Educação, memória e docência

 

Antonilma Santos Almeida Castro  (UEFS / UNEB) - Mediadora

Formação docente em atenção a diversidade:pontos e contra pontos

Edinalma Rosa Oliveira Bastos (UNEB- Campus XIII)

Educação e diversidade :discutindo eu/outro nos espaços de educação

Antonilde Santos (UNEB- Campus III)

Memórias de leitura: as histórias  de alunos assentados do Pronera no  Curso de magistério

Antoneide Almeida Silva (UNEB- Campus III)

A formação do pedagogo para atuação em espaço não formais de educação: em foco o ambiente hospitalar

 

MESA REDONDA 8

TEMA: Práticas de letramento na sala de aula de Língua Inglesa: reflexões e perspectivas de ação

 

Letícia Telles da Cruz (UNEB)  - Mediadora

Letramento e empoderamento: mudanças possíveis nas práticas de letramento nas aulas de língua inglesa em escola pública

Irenilza Oliveira e Oliveira (UNEB)

Esse inglês não é o da rainha: novas demandas para o ensino de língua inglesa nos dias atuais

Raulino Batista Figueiredo Neto (UNEB)

De limiares a luminares: o uso intercultural de língua inglesa  (UILI)

 

DIA: 12/11/2014 (QUARTA-FEIRA)

14h às 15h30

 

MESA-REDONDA 09

TEMA: Letramento e autoria na prática docente

 

Úrsula Cunha Anecleto (UNEB) – Mediadora

Letramento escolar e cotidiano

Carla Luzia Carneiro Borges (UEFS)

Letramento e autoria na prática com círculos de leitura

Murillo da Silva Neto (UFOB)

Letramento e autoria na prática de professores de surdos em escolas inclusivas

Luziane Amaral de Jesus (Sec. Municipal de Educal de Anguera)

Letramento e autoria na ficha pedagógica

 

MESA-REDONDA 10

TEMA: Os teares da memória: histórias de si e autorias em narrativas orais de mulheres

 

Janine Fontes de Souza (UNEB) - Mediadora

Memórias e oralidades nas mulheres negras da matinha

Líbia Gertrudes de Melo (UNEB)

Memórias, sinais e temporalidades: a poética do dizer nas narrativas orais de mulheres negras

Áurea da Silva Pereira Santos (UNEB)

Narrativas autobiográficas de mulheres idosas: aprendizagens e saberes de suas trajetórias de vida

 

MESA REDONDA 11:

TEMA: PIBID e Formação Docente: Diálogos entre Ensino Superior e Educação Básica

 

Obdália Santana Ferraz Silva  (UNEB/ PPGEDUC) - Mediadora

Contribuições do PIBID para o professor de língua materna em formação

Adriana Silva Teles Boudoux (UNEB)

O papel do PIBID na formação do professor de História: entre ensino, pesquisa e extensão.

Rita de Cássia Silva Sacramento (UNEB)

Aprofundando a aprendizagem de LI através da leitura e da escrita no Ensino Médio

 

 

 

OFICINAS

 

Faça sua inscrição em uma ou duas oficinas (contanto que sejam em dias diferentes)  clique a qui.
Obs.: A inscrição em mais de uma oficina será feita em fichas individuais.

 

DATA; 11//11/2014

Horário: 8h às 12h

 

OFICINA 1

 

NOME DA MINISTRANTE: Edite Maria da Silva de Faria (UNEB)

 

TEMA: A Educação Popular e as Interconexões com a EJA e a Educação do Campo: da opressão a humanização

 

PÚBLICO ATENDIDO: Graduandos, professores e educandos da EJA das escolas públicas (municipais e estaduais), pessoas que atuam nos movimentos sociais, movimentos populares e movimentos sindicais.

 

RESUMO: Discutir os princípios da Educação Popular (EP) e suas interconexões com a educação de pessoas jovens, adultas e idosas e com a Educação do Campo (EC) dentro do atual cenário educacional, aprofundando os princípios e pressupostos do pensamento de Paulo Freire para a educação, a escola e os diversos espaços de aprendizagem no Brasil num contexto de incertezas e desafios.

 

OBJETIVOS:

·   Analisar as interconexões entre a Educação Popular, EJA e Educação do Campo na Contemporaneidade;

·   Aprofundar as ideias de Paulo Freire num cenário educacional de incertezas e desafios;

·   Discutir propostas pedagógicas emancipatórias e humanizadoras nos diferentes espaços de aprendizagem nos municípios sisaleiros.

 

 

OFICINA 2

 

NOME DA MINISTRANTE: Alessandra Rodrigues (UNIFEI)

 

TEMA: Narrativas Digitais e Autoria na formação/ação docente e na Academia

 

PÚBLICO ATENDIDO: Graduandos dos cursos de Licenciatura, Pós-graduandos na área de Humanidades e demais interessados

 

RESUMO: A oficina trata das narrativas digitais relacionando-as às questões de escrita e autoria na Universidade e na formação de professores. A abordagem teórico-metodológica se sustenta, ainda, nas possibilidades advindas das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) para a produção textual. São abordados os seguintes aspectos: definições e conceitos básicos de narrativas; elementos e possibilidades das narrativas digitais; suportes para construção de narrativas digitais. Como finalização da oficina, os participantes iniciam a elaboração de uma narrativa em suporte digital.

 

OBJETIVOS:

A oficina tem como objetivos, levar os participantes a:

·  Conhecer as narrativas digitais como possibilidades para o trabalho docente e para o desenvolvimento de textos autorais no meio acadêmico;

·  Conhecer suportes midiáticos variados para a elaboração de narrativas digitais;

·   Iniciar a elaboração de uma narrativa digital.

 

OFICINA 3

 

NOME DO MINISTRANTE: Adriano de Oliveira (UFRS)     (Inscrições encerradas, vagas preenchidas)

 

TEMA: “Os desafios da escrita/pesquisa e a orientação no campo acadêmico

 

PÚBLICO ATENDIDO: 20 pessoas

 

RESUMO: Esta oficina tem por finalidade discutir com graduandos, pós-graduandos e outros interessados os desafios envolvidos no processo de escrita/pesquisa e orientação de TCCs, dissertações e teses, por meio de questões problematizadoras e exercícios de escrita reflexiva. Em relação à escrita/pesquisa e à orientação apontamos motes como: Quais as dificuldades e os caminhos para superar os impedimentos/inibições em relação ao processo de escrita/pesquisa criativa? Qual a função do orientador na constituição do investigador e na escrita/pesquisa autônoma? Como a escrita pode ser transformada no princípio da pesquisa?

 

OBJETIVO:

Discutir com graduandos, pós-graduandos e outros interessados os desafios envolvidos no processo de escrita/pesquisa e orientação de TCCs, dissertações e teses, por meio de questões problematizadoras e exercícios de escrita reflexiva.

 

 

 

DATA; 12//11/2014

Horário: 8h às 12h

 

 

OFICINA 4

 

NOME DA MINISTRANTE: Ivana Libertadoira (UNEB)

 

TEMA: A Educação Humanística e a Heautognose na Formação do Educador

 

PÚBLICO ATENDIDO: educandos, educadores, comunidade em geral

 

RESUMO: Partindo-se do preconizado no Art. 2º da LDB, afirmando que “A educação, dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho”, percebe-se como imprescindível para a formação integral do educando uma visão ampliada e crítica da realidade circundante bem como uma perspectiva humanista e a abordagem de temas que contribuam para uma reflexão em torno do conhecimento de si, do outro e da realidade. Neste sentido, o processo educacional torna-se um instrumento apropriado para a discussão e compreensão de questões como autonomia, autocracia, liberdade, cidadania, formação e responsabilidade, fundamentais tanto para a vida profissional como pessoal do educando e, também, do educador. A oficina "A Educação Humanística e a Heautognose na Formação do Educador" se propõe a (re)pensar caminhos e possibilidades para a efetivação desta proposta nos espaços de aprendizagem.

 

OBJETIVOS:

·  Refletir sobre a heautognose, a educação humanística e as implicações disto no ser professor.

·  Desenvolver, a partir das experiências próprias de cada participante da oficina e do diálogo filosófico sobre a interrogação acerca do homem e do real, alguns caminhos e possibilidades para o trabalho docente em torno do conhecimento de si e de temas correlatos (autonomia, autocracia, liberdade e responsabilidade).

 

 

OFICINA 5

 

NOME DO MINISTRANTE: Luiz Antonio de Carvalho Valverde

 

TEMA: Oficina de Criação Literária

 

PÚBLICO ATENDIDO:  alunos, professores, comunidade em geral

 

RESUMO: O trabalho com as palavras visa promover uma melhoria da percepção e representação artística, com reflexos na qualidade de vida de estudantes e educadores, trazendo uma amostra inequívoca da arte como formadora, ajudando a definir um posicionamento mais humano perante o mundo, recuperando a autoestima, fazendo sentir seus efeitos na atuação profissional, mais centrada e condizente com as altas responsabilidades inerentes ao poder que o professor tem de mudar vidas. Pretende esta oficina colaborar com a formação interdisciplinar dos futuros profissionais da educação e daqueles que já atuam neste universo, através de prática de criação literária, mas que manterá um diálogo muito de perto com outras linguagens artísticas. Assim a Universidade estará cumprindo seu papel de agente transformador da sociedade, enquanto entidade que pode contrapor saberes, visão crítica, promoção dos valores humanistas à dimensão alienante do mercado e dos artifícios do poder.

 

OBJETIVOS:

·  Despertar a criatividade dos alunos e alunos-professores, tendo em vista o desenvolvimento harmônico de suas potencialidades.

· Trazer o estudante de literatura e profissionais da educação para a intimidade do fazer literário, aprofundando, desta forma, o processo de pesquisa, tornando-o mais visceral e significativo.

·  Perseguir, pela criatividade, esse sentimento de participação e inserção do sujeito no mundo, marcando posições, influindo na realidade, dando um sentido mais amplo à existência.

·  Promover, pela arte, a busca do autoconhecimento e do situar-se como individualidade a desempenhar um papel ao longo da existência, visando sua plena realização espiritual, afetiva e profissional, enquanto partícipe do ato da criação, sem o que os meros saberes acumulados se afiguram inócuos e sem um sentido.

 

 

OFICINA 6

 

NOME DO MINISTRANTE: Ilzimar Oliveira (UNEB)

 

TEMA: Oficina de Pesquisa Biográfica

 

PÚBLICO ATENDIDO:  alunos, professores, pesquisadores interessados no campo e na metodologia de pesquisa biográfica

 

RESUMO: O trabalho com biografias está presente em diversos campos do fazer humano, na ciência e na arte.  As biografias são base de documentários, de filmes ficcionais, bem como de romances e matérias jornalísticas. O trabalho com biografias nos últimos anos tem também revelado seu significado para a pesquisa e para as ciências nos seus diversos campos, não apenas nas ciências humanas, mas também nas ciências biomédicas.  Considero, entretanto, que trabalhar com biografia é interessante para todos aqueles que se ocupam com as questoes de ser e estar no mundo. O que quer dizer, então, pesquisar biografias ou com biografias? No meu entender, trata-se de um campo interdisciplinar por excelência que significa, sobretudo, interessar-se pela investigação da construção de sentido, pela autoapreciação de indivíduos, pela autointerpretação  de pessoas e perceber, com um olhar científico sensível,  suas formas de ver e compreeender sua própria experiência de vida;  a partir daí pode-se proceder conclusões orientadas por uma cientificidade específica.  

 

 

OBJETIVOS:

  • Introduzir os participantes no campo conceitual da pesquisa biográfica;
  • Iniciar uma sensibilização para o trabalho com o  dado biográfico;
  • Iniciar uma familiarização com uma técnica da pesquisa biográfica: a entrevista narrativa, de acordo com a proposta de Fritz Schütze; 
  • Treinar a aplicação técnica da entrevista narrativa biográfica (coleta do dado biográfico);
  • Elencar e discutir algumas temáticas que podem ser tratadas através de biografias.  
 

OFICINA 7

 

NOME DO MINISTRANTE: Prof. Dr. Eduardo Chagas Oliveira

 

TEMA: Discurso, Mídia e Poder

 

PÚBLICO ATENDIDO: Estudantes de graduação e pós-graduação, profissionais e comunidade em geral.

 

RESUMO:

A oficina “Retóricas, Falácias e o Universo Discursivo...” empreenderá discussões acerca dos mecanismos de persuasão envolvidos na elaboração de discursos e na escolha de argumentos (ou pseudoargumentos) em múltiplos segmentos da sociedade. Nesse sentido, o universo discursivo será analisado como um campo de tensões e afazeres pragmáticos voltados à aquisição de interlocutores, adesão de ouvintes e ao enfrentamento de questões práticas, que emergem das relações interpessoais.

 

OBJETIVO:

Discutir e a interface do universo discursivo com os segmentos midiáticos associados à comunicação e à política.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!